Quer trabalhar fazendo Desenhos Realistas?

Por Charles Laveso 17 de abril de 2019

COMPARTILHE:
Trabalhar com desenho

Trabalhar com o que se gosta é o sonho de muitos, mas poucos conseguem, de verdade, sobreviver e prosperar em mercados não-tradicionais, como é o do desenho realista. Antes de mais nada, precisamos chegar ao consenso de que trabalhar com desenho é, sim, uma carreira promissora e deve ser encarado como uma profissão ─ mas, para isso, é preciso saber por onde começar.

Ter dúvidas sobre como divulgar seu trabalho, quanto cobrar, quais encomendas aceitar, é bastante normal entre aqueles que estão começando a trabalhar com desenho. Então, nada melhor que as dicas de quem já faz da arte sua forma de ganhar a vida há algum tempo!

Se você pensa em trabalhar com desenho e quer saber como começar a se firmar na profissão, favorite este artigo! Nele, você vai encontrar um manual com dicas preciosas para artistas que querem fazer daquilo que mais lhe dá prazer um modo de vida.

5 dicas de como trabalhar com desenho

Eu sei que você não vê a hora de pegar lápis e papel para começar logo as suas primeiras encomendas. Mas esse início é crucial para definir que tipo de profissional você quer ser e como quer ser visto no mercado.

Por isso, profissionalismo é essencial! E isso começa com você se enxergando como profissional e se posicionando como tal. Disciplina com horários e prazos, atualização constante, escolha dos materiais adequados e saber aceitar críticas, sem dúvidas, são essenciais para quem quer fazer do desenho realista uma forma de ganhar a vida.

Mas, para começar, não poderíamos deixar de conversar sobre…

1. Crie o seu portfólio

Trabalhar com desenho

Nele, claro, estarão as suas melhores artes! Além de ser o seu cartão de visitas, que mostra do que você é capaz, o portfólio também é uma espécie mostruário de onde muitos clientes irão tirar inspiração para pedidos.

Justamente por isso, a primeira grande dica é: não coloque nele apenas o trabalhos que você considera muito bons, tenha em mente de que eles precisam agradar os seus potenciais clientes.

Os desenhos precisam despertar emoções e, por mais que você se orgulhe de um desenho fantástico sobre natureza morta, pode ser que o seu público prefira algo mais humano. As pessoas querem se ver nos desenhos e nas situações retratadas.

É interessante ter no seu portfólio desenhos de:

  • Bebês: especialmente crianças a partir dos 8 meses, que já têm expressões faciais mais tocantes, como sorrisos abertos e caretas;
  • Celebrações: casamentos, formaturas, renovação de votos, debut e outras momentos marcantes da vida podem mostrar ao seus clientes belas maneiras de presentear;
  • Animais: os pets entraram com tudo nas nossas vidas, portanto, devem entrar também nos seus desenhos. Acredite, os donos de animais ficam tão comovidos com as imagens quanto os pais dos bebês que citei acima;
  • Paisagens: principalmente, as mais famosas.

Não se esqueça de que se você quer trabalhar com desenho, a sua pasta precisa ser comercial e vender o seu trabalho.

Neste post eu reuni uma série de dicas de como montar o seu portfólio, tanto físico quanto digital.

2. Aprenda a negociar

Isso significa mostrar ao cliente que você é um prestador de serviços como qualquer outro. Na hora da negociação seja bastante claro nas informações e estipule prazos e formas de pagamento. A forma de precificar o seu trabalho ainda é um assunto bastante delicado, pois muitas variáveis devem ser consideradas e muito pode mudar de um profissional para outro.

Uma dessas variáveis é o lugar onde você expõe os seus desenhos. Se você os expõe na rua, por exemplo, o público que você atinge pode ser um tanto genérico, que não vê valor (sempre lembrando que preço e valor são bastante diferentes) nas suas artes. Enquanto isso, quem expõe em galerias, acerta um público mais crítico e que entende o trabalho artístico por trás do desenho.

3. Saiba dizer não

Aceitar qualquer encomenda pode ser um tremendo “tiro no pé”. Mesmo que você esteja começando a trabalhar com desenho, é preciso filtrar os trabalhos que aceita. Como o resultado do desenho realista está intimamente ligado à qualidade da fotografia usada de base, seja bastante criterioso no momento de aceitar os trabalhos.

Uma fotografia em má resolução não permite que o desenhista tenha acesso a detalhes que fazem toda a diferença no realismo da obra como cílios, dentes, linhas de expressão e os brilho dos olhos. E nunca esqueça: ampliar uma imagem não irá melhorar sua qualidade, apenas irá deixá-la mais pixelizada.

Acha que o trabalho não vai ficar legal? Não aceite. É melhor não aceitar uma encomenda que pode afetar seu portfólio que entregar um desenho que não condiz com a sua qualidade. Além de, claro, correr o risco de ter um cliente insatisfeito com o seu trabalho.

4. Trabalhe sua imagem pessoal

Trabalhar com desenho

Se trabalhar com desenho é o seu objetivo, você precisa mostrar isso! Muitos ficam apenas no círculo já conhecido, expondo na rua ou nem conseguem expor seus trabalhos. Na rua, você mostra apenas para quem está passando, nas galerias, para um público restrito.

Acho que você já percebeu que vou falar da internet, certo? Ela é um ótimo território para explorar, especialmente Instagram e Facebook. O Instagram é visual por essência, ótimo para ser uma “extensão” do seu portifólio; o Facebook é rico em interações, que podem alçar seu trabalho para um número bem maior de pessoas.

Use as redes para mostrar não só o seu trabalho pronto, mas também o processo criativo por trás. Fale sobre seus materiais de trabalho, grave vídeos, fale sobre a rotina. Tudo isso gera valor ao seu trabalho e o coloca como uma autoridade no assunto, alguém que sabe o que está falando. Isso, claro, impacta no seu preço e, com certeza, no seu número de encomendas!

5. Faça network

É muito importante se colocar não apenas entre o público, mas também entre outros artistas. Sim, eles podem ser seus concorrentes, mas encará-los como parceiros, como pessoas para trocar experiência e dicas é uma ótima forma de crescer na profissão.

Grupos em redes sociais e cursos de desenho são ótimos locais para encontrar quem também está começando a trabalhar nessa área e ficar por dentro do mercado. Essa também é uma forma de conquistar mais encomendas, uma vez que ser um profissional bem relacionado pode render indicações de outros artistas que, por qualquer motivo, não podem aceitá-las.

Outros pontos de atenção ao trabalhar com desenho

Além dessas cinco dicas que você leu acima, existem alguns outros toques que podem ajudar você. Muitos outros você vai descobrir na prática, claro, mas reuni aqui alguns tópicos importantes que pude observar ao longo da minha carreira:

Moldura

Uma das perguntas mais frequentes dos clientes é em relação à moldura que será utilizada. Pessoalmente, prefiro as molduras neutras em tons de grafite, branco, preto, alumínio e fumê. A moldura deve destacar o desenho, não competir com ele, então, essas são as cores mais adequadas para desenhos preto e branco.

Uma maneira de mostrar o protagonismo do desenho na moldura é não preenchê-la totalmente com a obra, como se fosse um porta-retratos. Eu gosto muito de usar paspatur branco, que nada mais é que um papel que preenche o espaço entre o desenho e a moldura, deixando-o centralizado e dando um acabamento bem elegante.

Materiais

Tem gente que acha que qualquer lápis e qualquer papel servem se o artista for talentoso. Pois tenho uma péssima notícia para quem pensa assim: por mais técnica que tenha o desenhista, suas ferramentas de trabalho precisam ser adequadas! Mas isso não significa que você precise gastar rios de dinheiro com seus materiais.

Com pesquisa a respeito dos materiais e também pesquisas de preços em papelarias da sua cidade ou pela internet, é possível montar um bom kit de trabalho com até R$60.00. Procure estar sempre atualizado sobre os materiais, mostrar ao cliente que você investe na sua carreira também é uma forma de mostrar profissionalismo.

Onde expor

Trabalhar com desenho

Falei algumas vezes sobre exposição em galerias, mas essa talvez não seja a maneira mais eficiente de conseguir muitas encomendas pois, como falado acima, o público é bastante restrito. Uma forma de expor o seu trabalho de maneira mais comercial é fazer parcerias.

  • Lojas: especialmente as de moldura podem ser um ótimo local! Selecione as lojas de acordo com o público que você quer atender e, ao fazer a moldura de um dos seus trabalhos, peça à loja para deixá-lo exposto no espaço;
  • Fotógrafos: aqueles com foco em debutantes, formaturas e casamentos podem ser bons parceiros. Mostre a eles que o seu trabalho oferece um diferencial ao trabalho deles;
  • Shoppings: converse com o setor de marketing sobre locais em que os seus desenhos possam ser expostos.

Essas são apenas algumas opções, claro que existem muitas outras como cafés, livrarias, lojas de decoração, mas você precisa manter o foco no público. Uma loja de utilidades é bastante movimentada, mas a sua obra seria valorizada por quem a frequenta? O local que você expõe pode valorizar ou depreciar a sua obra. Selecione o público que você quer atingir e, só então, procure locais que sejam adequados a ele.

Organize seu dia

Essa dica não serve apenas para trabalhar com desenho, mas para qualquer coisa que você fizer na sua vida. Mantenha um bom controle sobre a sua produção, saiba quanto tempo cada desenho demanda, quais os seus prazos, quando será pago e quando precisa cobrar seus clientes.

Trabalhar com desenho, embora muitos encarem isso como prazer e não como trabalho, exige disciplina e controle, então, procure por ferramentas que ajudem você a saber o que foi, o que está e o que precisa ser feito. Na internet você encontra várias opções de sites que irão ajudar você nessa missão (o Trello costuma ser bastante utilizado por ser simples e visual)!

Não estagne

Ao trabalhar sob encomenda, nem sempre você irá desenhar o que gosta e algumas vezes os pedidos podem ser de algo fora do seu perfil. À medida que os clientes chegam, parece ficar mais difícil manter o ritmo de estudos, mas é importante separar um espacinho no seu dia para isso.

Não faça apenas o que os outros pedem, esteja sempre buscando novas técnicas e referências. Isso irá enriquecer o seu portfólio e, claro, suas inspirações. Ou seja, não se acomode, não fique na sua zona de conforto e motive-se a buscar sempre coisas novas (para o seu portfólio e para a sua vida também).

Faça diferente

Trabalhar com desenho

Com um ritmo de trabalho instituído, você verá que existem desenhos mais fáceis que outros. Mas isso não quer dizer que você precisa apenas aplicar “um receita de bolo”.

Justamente os desenhos mais corriqueiros são os que devem exigir mais empenho e técnica. Aproveite algo que você já domina para explorar novas texturas, sombras e colocar em prática as dicas recebidas de outros artistas. Busque por profissionais já consolidados no mercado e tenha o trabalho deles como motivação para continuar fazendo ainda melhor.

Trabalhar com desenho é algo que pode lhe realizar pessoal e profissionalmente. O começo pode parecer difícil e você pode estar um pouco perdido, mas isso é bastante normal e, hoje em dia, está muito mais fácil saber por onde começar. Este artigo é um bom exemplo!

Então, vamos começar? Já selecionou os seus melhores desenhos para montar o portfólio? Agora é hora de mostrar para todo mundo! No post Saiba como fotografar desenhos, você encontra dicas e técnicas fotográficas para montar sua página na online. Vale a pena conferir!

COMPARTILHE:
Entre para a nossa lista VIP.