8 materiais essenciais para começar a fazer desenhos realistas

Por Samuel Torres 12 de julho de 2019

COMPARTILHE:

Desenhar, para alguns, pode ser interpretado como um dom, dádiva, talento e afinidade com a técnica. Porém, alguns cuidados e técnicas são essenciais para quem está começando a desenhar. Especialmente desenhos realistas. Por isso, separamos algumas dicas e materiais essenciais para começar a desenhar do zero. 

Folha em branco e lápis estão no topo da lista entre os acessórios básicos para dar início aos esboços e as primeiras produções. Ah, é claro, a persistência e a prática vão te levar a resultados incríveis que com o tempo vão exigir aprimoramento do seu material e técnica. 

Então, vamos começar pelo básico e ver até onde podemos ir como seu trabalho? Aprenda a montar um kit básico de materiais necessários para dar os primeiros passos no desenho realista. Confira!

Materiais para começar a desenhar

Lápis

Não será necessário gastar com lápis caros e importados para começar no desenho realista. Com lápis grafite escolar já é possível trabalhar, desde que entenda a técnica e saiba sobre as tonalidades.

Porém, vale ressaltar que um lápis de baixa qualidade pode prejudicar o desenvolvimento da técnica e até mesmo os resultados dos seus trabalhos.

Por isso, separamos alguns modelos que usamos, gostamos e recomendamos. O mais importante: não são caros.

O Faber-Castell série 9000 é nossa escolha, por ser um lápis fabricado aqui mesmo no Brasil, de fácil acesso e barato. Existem também várias graduações disponíveis no mercado, o que facilita no alcance de diversos tons de cinza. Por serem levemente mais claros, recomendamos usar graduações um pouco mais escuras. Sugestões: HB, 2B e 6B.

Outras marcas fáceis de encontrar e com preços também acessíveis são: Cis, Maped e Stabilo.

É importante mantê-los sempre bem apontados para que o sombreamento fique menos poroso e também para ter mais precisão nos detalhes.

Papel

Assim como aos lápis, existe um mito em torno dos papéis: a de que ele seja responsável por um trabalho de qualidade.

Em parte isso é verdade. Um papel de qualidade possibilita sim melhores resultados, mas não é decisivo para tal. Na verdade, o que é determinante é a habilidade e a técnica desenvolvida, aliadas ao conhecimento e adaptação ao papel escolhido para trabalhar.

Nossa orientação é que você experimente diversos tipos de papéis e tire suas próprias conclusões. Assim poderá escolher aquele que melhor se adaptar.

Para facilitar a escolha, separamos algumas opções de papéis bons e baratos. Entre elas está a nossa escolha, com base na experiência de professores e alunos do curso.

Primeiramente, o Canson é um papel muito conhecido e fácil de encontrar. Os que mais gostamos de usar é o Canson Desenho e o Canson Escolar, o primeiro de gramatura 200 e o escolar 140. Ambos oferecem uma boa qualidade para o desenho realista e são texturizados. Como preferimos usar papéis mais lisos, recomendamos que se use o verso deles, que é um pouco mais liso.

Outro papel que recomendamos é o Fabriano, um papel recém chegado ao mercado e fabricado aqui mesmo no Brasil. Ele possui qualidade e textura semelhantes ao Canson, por isso, também recomendamos usar o lado mais liso.

Por último, o Hahnemule Nostalgie tem um grau de qualidade acima dos demais com um bom custo benefício. Esse papel oferece uma excelente qualidade com um preço acessível, portanto é a nossa escolha aqui.

Em um outro texto do blog, detalhamos diferentes tipos e marcas aconselháveis nesta escolha. 

Lapiseira

Além dos lápis grafite, recomendamos adquirir uma lapiseira 0.5 com grafite 4B. Ela irá facilitar o desenho de pêlos e detalhes pequenos que requerem precisão.

Até daria para fazer esses detalhes a lápis, mas ele teria que estar sempre bem apontado. A vantagem da lapiseira é que ela oferece muito mais praticidade, pois é recarregável. Além disso, a mina é sempre fina e não engrossa conforme o uso, assim como acontece com o lápis.

A nossa recomendação é a famosa Pentel tradicional 0.5.

Essa não é uma lapiseira barata, mas é muito boa de usar e durável. Porém, existem muitas outras de qualidade razoável no mercado, como a Cis, Tris e Mercur. Outra duas marcas que usamos e recomendamos são: Trident e Faber-Castell.

Uma dica importante: na hora de escolher uma lapiseira para comprar, fique atento à ponteira. Algumas, principalmente as mais baratas, costumam ter a ponta meio larga, deixando o grafite meio solto. Isso diminui a precisão na hora de utilizá-la e acaba facilitando a quebra. Portanto, confira se a ponta mantém o grafite bem justo, sem folga.

Estilete

Outro item importante é o que irá deixar a ponta do lápis mais fina, o que te ajuda na precisão no desenho. Dessa forma você poderá ver com clareza o traço e o efeito que o lápis produz em determinada forma de uso.

Você pode escolher um estilete, um apontador comum ou um apontador de manivela, conforme detalhamos melhor neste artigo.

Caneta borracha

A borracha no desenho realista dificilmente é usada para apagar quando se erra. Ela é mais usada para fazer efeitos, seja de texturas, fios, efeitos de brilho, mechas claras no cabelo, entre outros.

A nossa recomendação é pela marca Pentel Clie Eraser, mostrada abaixo. Pode-se cortar a ponta dela em chanfro para facilitar o uso em detalhes menores e fios. 

Outras boas opções são as da marca Tombow, a Mono Zero 2.3 ou a 3.8mm. Ambas são muito boas para detalhes menores e efeitos de brilho na textura de pele. 

Esfuminho

O esfuminho é um ferramenta essencial para a técnica de sombreamento. Ele é usado para espalhar o grafite sobre o papel deixando o sombreamento mais suave, com o aspecto esfumaçado. Como trabalhamos com sombras suaves e sem o aspecto de traços ou porosidade, o esfuminho é bem útil. 

Para espalhar o grafite em áreas maiores e deixar o sombreamento com o aspecto esfumaçado há outras opções. Estamos falando do lenço de papel ou pedaço de papel higiênico macio dobrado em forma de triângulo. Esses itens dão maior precisão e controle à técnica.

Recomendamos que se tenha ao menos um esfuminho médio, se possível também um fino, para mais precisão dos detalhes menores. 

Algumas marcas que usamos e recomendamos são: Derwent, Cretacolor (mais macios) e Trident (mais secos).

Para entender melhor o uso e a manutenção desse item, dá uma olhada neste outro artigo.

Pincel

O pincel é outra ferramenta usada para deixar o sombreamento mais suave. Depois de usar o esfuminho, o sombreamento já fica bem suave. Porém, ele pode ficar um pouco poroso, por isso, usamos o pincel chato macio. Ele possibilita a penetração do grafite nos poros do papel, tornando o sombreamento ainda mais suave e homogêneo. 

Não importa se ele tenha cerdas naturais ou sintéticas, desde que seja macio. Uma dica é cortar as cerdas ao meio para que o pincel fique mais firme, apresentando um efeito maior sobre o sombreamento.

Boleador

Por fim, o boleador é uma ferramenta usada para fazer efeito de fios brancos e com brilho, seja na barba ou cabelo. Ele serve para afundar o papel, fazendo sulcos em formato de fios. Na sequência, ao passar o lápis por cima, o grafite não penetra nesses sulcos, deixando um fio claro por baixo.

Ele pode ser encontrado em diversos sites de materiais artísticos e artesanais. Bem como, o item também pode ser encontrado em lojas de cosméticos e perfumarias.

Uma dica final: o boleador pode ser substituído por qualquer material com ponta metálica arrendonda. Pode ser uma caneta estilo Bic sem carga ou uma agulha de crochê, por exemplo.

Onde guardo tudo isso?

A gente reconhece o trabalho que dá começar a desenhar do zero até chegar no resultado final esperado. Armazene a sua arte para preservar a qualidade dos traços, o papel escolhido e a tinta ou lápis aplicados. Caixas, arquivos e pastas ajudam seus desenhos a ficarem longes de problemas. A regra básica, quase obrigatória, é proteger da luz e da umidade. 

Onde encontrar?

A maior parte do material sugerido aqui para começar a desenhar do zero pode ser encontrado em papelarias comuns. Não deixe de pesquisar os preços e confira, também, as opções disponíveis na internet. 

Se mesmo assim não conseguir comprar tudo antes de começar a desenhar, priorize:

  • lápis;
  • caneta borracha maior;
  • esfuminho;
  • papel próprio para desenho.

Com esses materiais básicos você conseguirá desenhar praticamente qualquer imagem no estilo Realista. Desde sombras e reflexos, até efeitos complexos como efeito molhado, até texturas de pele, cabelos e barbas.

Realismo para iniciantes

Se você começou a desenhar e já consegue enxergar afinidade com as produções realistas, foque no seu sonho. Aulas sem sair de casa e a opinião e acompanhamento de especialistas estão disponíveis em nosso curso. Conheça o curso de realismo para iniciantes e alcance resultados seguindo nossas aulas. 

O essencial para começar a desenhar do zero já está com você: a vontade. Teste, ouse, arrisque-se, vá devagar, com pressa, com cores ou sem cores. Só não deixe de dar o primeiro passo o quanto antes. Aqui no blog a gente publica dicas e ensina a melhor a forma de você se desenvolver com desenhos realistas. 

Curso de Desenho Realista para IniciantesPowered by Rock Convert
COMPARTILHE:
Entre para a nossa lista VIP.