Esfuminho: estou usando ele da forma correta?

Por Maira Poli 11 de Abril de 2018

COMPARTILHE:
Esfuminho
Esfuminho: estou usando ele da forma correta?
5 (100%) 1 vote

Uma das características que enriquecem um desenho realista é a suavidade que este apresenta e que o faz se aproximar à uma fotografia. E, para isso, podem-se utilizar algumas ferramentas que auxiliam nesse resultado.  

Nem todo artista realista é adepto ao uso dessas ferramentas e não é uma regra usá-las. Mas àqueles que o fazem e que procuram não deixar traços do lápis e nem porosidades aparentes têm à sua disposição algumas opções como o algodão, hastes flexíveis com pontas de algodão (cotonetes), lenços de papel, papel higiênico de folha dupla e o mais conhecido entre eles: o esfuminho.

O que é o esfuminho?


O esfuminho é um tubo de papel prensado com a função de suavizar os traços do grafite no desenho. É de fácil acesso e com preço acessível. Pode ser encontrado em papelarias escolares e lojas de materiais de artes. Há diferentes marcas e valores, alguns mais macios outros nem tanto, de diferentes espessuras (pequeno, médio e grande). E comumente se parece como se vê na imagem abaixo, com ambas as pontas afuniladas como um cone.

Esfuminho

Porém, alguns sentem dificuldade em entender a sua função e principalmente na forma de manuseá-lo e se perguntam:

Estou usando o esfuminho de forma correta?

Quando se usa o esfuminho, logo se conclui que é para espalhar o grafite. Muitos artistas o utiliza dessa forma e conseguem se adaptar  a essa maneira. E isso não está muito longe de sua proposta. Porém, na experiência profissional, há maneiras de trabalhar com o esfuminho que produzem resultados satisfatórios de uma forma mais eficaz.

Com isso, entenda que o principal papel do esfuminho é suavizar e não esfregar ou espalhar. E qual é a diferença entre esses termos?

Suavizar ou espalhar o grafite?

Quando se trata de suavizar, estamos falando de utilizar a ferramenta superficialmente à camada de grafite, ou seja, já há uma base bem trabalhada de grafite sobre a qual o esfuminho agirá suavemente. Apenas para diminuir a sensação de rusticidade no sombreamento.

O volume já existe através do degradê realizado com o lápis. Portanto, não há necessidade de retirar, nem de espalhar o grafite, apenas suavizá-lo.

É como se vê na imagem abaixo. Temos, à esquerda, uma esfera com volume realizado somente com o grafite e depois suavizada com o esfuminho. Ou seja, trabalhou a arte final como se não houvessem ferramentas para esfumar. Mas depois utilizou do esfuminho para dar somente o acabamento final.

Desenhos de bolas com o uso do esfuminho

Na outras duas imagens ao lado, temos um exemplo de quando se usa o esfuminho na intenção de espalhar o grafite, cobrindo áreas que o lápis não preencheu. Apesar de ser uma forma válida, e também apresentar resultados, pode destacar manchas indesejáveis no sombreamento.

Manutenção do esfuminho

Um esfuminho pode durar muitos anos e é importante fazer a manutenção correta desse material. Em áreas escuras poderá usá-lo sujo, mas na maioria do casos, mantê-lo limpo facilita o atrito do esfuminho com o grafite. E distribui-se com mais harmonia e leveza, não precisando aplicar força ou rapidez.

Para mantê-lo limpo e com a ponta em cone, poderá utilizar lixas, tais como: lixas de pé, lixas de unha, lixas específicas. De preferência lixas mais finas, aplicando pressão suficiente para desbastar a camada suja, e não esfarelar o esfuminho. Respeite o sentido do papel e vá girando, conforme desbasta, somente em uma direção, pois o “vai-e-vem” pode danificá-lo.

Esfuminhos

O esfuminho é muito utilizado em áreas menores e delicadas. Quando utilizado em áreas grandes, pode acontecer de deixar “rastros” no caminho, já que tem uma ponta mais fina e precisa, ou seja, não abrangente. Por isso há outras opções como o papel higiênico ou lenço de papel que conseguem cobrir áreas maiores e de forma mais uniforme e suave.

 

Lembre-se que seu maior aprendizado será na prática. Procure entender a função e como cada material se comporta na técnica, pois não há uma receita pronta, mas uma capacidade de cada artista trabalhar à sua maneira.

Há métodos e materiais que vão facilitar e agilizar o processo. Mas o importante é praticar, entender e adaptar-se.

E você já sabe como alcançar tons mais escuros nos seus desenhos? Aprenda aqui!

COMPARTILHE:
Entre para a nossa lista VIP.