Movimentos artísticos: a técnica de pontilhismo

Por Charles Laveso 28 de junho de 2019

COMPARTILHE:
Avalie este Post

Como toda pessoa apaixonada de ilustrações, você provavelmente já ficou vidrado com uma ou mais obras produzidas através da técnica de pontilhismo, não é? Embora seja uma técnica antiga, que tenha nascido em 1880, ela atrai até os olhos curiosos de pessoas que não têm muita familiaridade com essa arte.

A possibilidade de fazer desenhos impressionantes, deixando espacinhos em branco no meio deles, parece deixar a obra ainda mais encantadora. Assim, se aprimorar para trabalhar com isso pode ser uma ótima escolha para pessoas como você, que têm o dom da ilustração ou muita vontade de aprender.

Conheça um pouco mais sobre a técnica de pontilhismo, sua origem e como dar os primeiros passos. 

História da técnica de pontilhismo

Também conhecida como pintura de pontos, punctilhismo, cromoluminarismo e divisionismo, a técnica de pontilhismo nasceu na França, em 1880. Os artistas George Seurat e Paul Signac são considerados pioneiros na arte de fazer pinturas usando pontos brancos, pretos ou coloridos. 

A intenção é provocar a ilusão de ótica do observador através da justaposição. Para que isso seja possível, é preciso muita prática, técnica e experiência. Afinal, para transmitir a mensagem desejada, o artista não pode deixar espaços em branco, a não ser os naturalmente formados entre os pontos. Ao mesmo tempo, não é permitido que os pontos se unam e se transformem em traços.

Enquanto George Seurat e Paul Signac foram apontados como os primeiros artistas a divulgar trabalho usando a técnica de pontilhismo, o termo “peinture au point”, que quer dizer “pintura e pontos” é atribuído ao crítico de arte francês Félix Fénéon (1861-1944), que comentou dessa forma ao observar a obra de Seurat.

Pintores que usavam a técnica de pontilhismo

Paul Signac (1863-1935) fez diversas obras com o uso dessa técnica, que se destacaram, como “A Ponte De Asnieres” (1888) e “Entrada do Porto de Marselha” (1911). Já Georges Seurat (1859-1891) tem como destaques “Tarde de domingo na ilha de Grande Jatte” (1884) e “O Circo” (1890-1891).

Além deles, nomes como  Paul Gauguin (1848-1903), Vincent van Gogh (1853-1890), Henri de Toulouse-Lautrec (1864-1901) e Henri Matisse (1869-1954)  também adotaram a técnica de pontilhismo em algumas obras.

Dentre os brasileiros, o pontilhismo fez parte da arte de Belmiro de Almeida (1858-1935) e Eliseu Visconti (1866-1944).

Principais características 

Para entender um pouco mais sobre as características do pontilhismo, é importante compreender que a técnica foi criada a partir do movimento impressionista. Esse período, chamado também de “Belle Époque” (1871-1914), trouxe renovação para a arte em geral, especialmente para a pintura. 

A aversão desses pela linha como delimitação no desenho surgiu nessa época, na qual o pontilhismo nascia. Focada na pesquisa de cores e recorte geométrico, sem qualquer delimitação, a técnica dá ao observador uma mistura de pontos e tons que, quando vistos a distância, formam as imagens representadas. 

Place des Lices, de Paul Signac (1905)

Como usar a técnica de pontilhismo

Em um primeiro momento você pode até se assustar com o desafio proposto por essa técnica, mas o resultado das pinturas em tela, com acabamento que foge do convencional, faz o empenho compensar. A cada ponto, mais inspiração e criatividade. 

Antes de começar a praticar, é importante ter um pouco de cuidado com o material que vai querer usar. Lembre-se que são pequenos pontos que darão vida à sua obra e, quanto mais grosso, mais difícil será para você passar a mensagem escolhida. Assim, é indicado que escolha algo com a ponta mais fina para desenvolver os primeiros trabalhos.

Canetas 03 ou 05 costumam ser as favoritas dos amantes dessa arte. Com as pontas fininhas, conseguem criar pontos mais delicados. Lápis também é uma boa opção, dependendo do estilo do desenho que você queira trabalhar. 

Depois de ter mais prática e dominar mais a técnica, a tinta poderá ser usada. É bom praticar bastante com caneta e lápis, já que com a tinta, um pequeno descuido poderá resultar em um grande borrão. Isso prejudicará a essência do pontilhado. 

Outro ponto importante é quanto ao tempo e paciência. A técnica é delicada e demanda um tempo maior para ser desenvolvida, principalmente para quem está dando os primeiros passos. Sendo assim, escolha um ambiente tranquilo e um momento no qual possa se dedicar por um tempo maior, para iniciar o trabalho. Afinal, a pressa pode descaracterizar o desenho. 

Feito isso, é a hora de escolher o seu primeiro desenho que será feito com a técnica de pontilhismo. Pode ser uma gravura familiar ou uma imagem que queira recriar. Figuras, linhas e sombreamento podem ser realizados com essa técnica. Lembre-se também, de que é possível provocar uma ilusão de ótica no observador, ao aproximar duas cores durante a criação do desenho. Quem enxerga poderá misturá-las visualmente e criar uma terceira. 

Primeiro exercício para aprender a técnica de pontilhismo

Caso queira treinar um pouco antes de fazer o primeiro desenho, a dica é desenhar um círculo em um papel, usando um compasso ou qualquer coisa redonda para servir como molde. Depois disso, pegue o lápis ou caneta escolhidos e pontilhe, para treinar o sombreamento. 

Você também pode fazer do centro o ponto de iluminação do desenho. Isso ajudará a identificar as dificuldades e possíveis falhas nesse primeiro exercício, para depois seguir com figuras. 

Como praticar a técnica de pontilhismo

Agora que você já deu o primeiro passo, escolha um desenho. Tente definir os locais que precisam de mais sombras e de mais iluminação dentro desse primeiro trabalho.

Na sequência, comece a aplicar a técnica pelo contorno do desenho e siga para a região na qual a sombra no desenho seja menos densa.

Durante todo o processo, tenha muita atenção, pois os pontos não podem se tornar traços. É preciso ter um pequeno espaçamento entre eles. Não se esqueça de que quanto mais fino for o ponto mais fácil será para você transmitir o realismo com a sua arte. 

O pontilhismo é uma técnica interessante e capaz de atrair olhares variados. Assim, é bom tê-la em seu portfólio. O que acha de começar a praticar já? Enquanto prepara o material, descubra como os tatuadores usam a técnica de pontilhismo em seu trabalho. 

COMPARTILHE:
Entre para a nossa lista VIP.