Movimentos artísticos: hiper-realismo

Por Charles Laveso 31 de julho de 2019

COMPARTILHE:

Ao longo da história muitos foram os movimentos artísticos no mundo das artes, como é o caso do hiper-realismo. Apesar das primeiras manifestações terem sido na década de 1960, foi nos anos 2000 que essa técnica voltou ao foco. 

A premissa principal do hiper-realismo é o fotorealismo, que consiste em um tipo de pintura feita a partir de fotografias. A pintura ou escultura precisa exprimir todos os elementos da fotografia, até os mínimos detalhes, para ser considerada hiper-realista. 

Para entender melhor o que é o hiper-realismo e aprender a diferenciá-lo de outras técnicas similares, continue lendo. 

As diferenças entre realismo e hiper-realismo

Por mais similar que possa parecer, os desenhos realistas e hiper-realistas não são a mesma coisa. O desenho realista é um movimento que surge no final do século XIX e o principal conceito é retratar a realidade social da época.

Esse tipo de arte vem se opor ao romantismo, e no lugar de apenas exaltar as belezas da época, faz uma crítica social. Um dos primeiros nomes desse movimento é o pintor Gustave Coubert. Porém, até atingir notoriedade não foi fácil, já que ele teve seus trabalhos impedidos de serem expostos várias vezes. 

Depois dele, diversos outros artistas passaram a utilizar suas pinturas para retratar e criticar aspectos sociais. Apesar de traços parecidos, os temas foram se diferenciando, mas sempre levando em consideração o objetivo do movimento. 

Já quando falamos em hiper-realismo, nos referimos a obras que são tão fiéis ao real, que muitas vezes são confundidas com fotografias

Para um pintura ser considerada hiper-realista, ela precisa retratar todos os detalhes presentes no objeto ou paisagem retratada. 

Dessa maneira, fazem parte do movimento hiper-realista tanto as pinturas de alta resolução, quanto às esculturas. 

O que o hiper-realismo retrata?

Se o realismo tem como principal fundamento retratar a realidade social e fazer críticas, qual o objetivo do hiper-realismo?

Essa é uma pergunta ampla, já que cada pintor tem um modo de retratar o cotidiano por meio dos desenhos hiper-realistas. Alyssa Monks, por exemplo, tem a intenção de retratar o corpo humano em situações cotidianas. Um mulher tomando banho, outra na banheira ou na piscina. São situações cotidianas, mas que no geral não estão presentes nas pinturas de outros movimentos. 

Já o pintor alemão Dirk Dzimirsky enxerga suas obras como esculturas 2D. Pelas obras, ele reflete pensamentos e estado de espírito ao fazer uma interpretação individual em cada uma delas. 

A intenção é preservar os detalhes. Porém, de acordo com o que ele enxerga, coloca sentimentos e emoções que vão além da imagem retratada. Por isso, ele não se preocupa se a imagem ficará 100% fiel ao original, mas sim se vai retratar a sua opinião sobre aquele desenho. Alguns de seus desenhos têm técnicas como sombreamento exagerado exatamente para dar uma ar mais dramático. 

Alyssa Monks – Smirk (2009)

Como escolher imagens para desenhos hiper-realistas

Para quem está começando com essa técnica, ter referências de desenhos hiper-realistas é importante. Você não precisa copiar os desenhos de outros artistas, mas saber se inspirar para procurar seus próprios desenhos. 

Em síntese, a primeira dica é procurar pintores que você admira e observar o trabalho que eles fazem. O que eles estão retratando? Qual a mensagem que querem passam com a obra? Existe uma mensagem, uma crítica ou nenhum deles?

Faça essa observação de maneira crítica e depois comece a pensar no que você quer retratar. Você quer passar alguma mensagem? Por que deseja fazer desenhos hiper-realistas

Leve tudo isso em consideração para então começar a desenhar. Quando falamos de desenhos hiper-realistas estamos falando mais na técnica, mas ainda existem maneiras de colocar a sua personalidade e individualidade nas obras

Dessa forma, não fique preso a apenas copiar imagens prontas, mas sim mostrar a sua visão sobre aquela imagem ou fotografia. 

Veja também o que é a técnica impressionista e a sua importância para o surgimento de outros movimentos.

COMPARTILHE:
Entre para a nossa lista VIP.