Como lidar positivamente com as comparações que fazemos

Por Samuel Torres 13 de setembro de 2019

COMPARTILHE:

Todo artista em algum momento já teve que lidar com comparações sobre sua arte. Isso pode ocorrer até internamente, quando não se sente tão bom quanto outro artista. Essas comparações fazem parte da vida de todos, mas como lidamos com ela é o que faz toda a diferença. 

Neste artigo vamos abordar maneiras de lidar positivamente com as comparações. Além disso, vamos entender até que ponto elas podem ser benéficas ao trabalho. Continue lendo e confira!

Se comparar com outros artistas é ruim?

Primeiramente, precisamos esclarecer que comparações acontecem o tempo todo. Até mesmo os artistas consagrados podem comparar suas obras a de outros. 

O importante é entender se essa é uma comparação positiva ou não. Em muitos casos, ela pode até ser uma maneira de buscar melhorar a sua arte. 

Quando se usa das comparações como uma forma de evolução é um bom sinal. Isso mostra que você, como artista, entende que sempre pode melhorar. Mesmo que, para isso, compare os pontos mais fortes de seus concorrentes. 

No entanto, esse hábito o impede de produzir mais, é necessário uma mudança de postura. Pois, ter inveja de alguém que você considera melhor que você é bem diferente de tê-lo como referência. 

Tendo em mente essa diferença, a resposta é não. Não é ruim se comparar com outros artistas. Ruim é quando isso faz com que você se sinta inferior aos outros e comece a desacreditar no seu talento. Bem como, quando isso gera uma frustração. 

Nesse momento, é hora de procurar métodos que possam ajudar a mudar o seu pensamento. 

Como não se frustrar com as comparações

Antes de mais nada, é preciso entender que o fato de comparar seu trabalho com o de outro não é o problema. Porém, o que isso gera em você deve ser entendido. Se você fica frustrado ao ver uma obra de um artista que usa das mesmas técnicas que você, esse é um problema. Abaixo vamos listar algumas ações que podem te ajudar a lidar positivamente com as frustrações. 

Não pare!

Não pare de desenhar jamais, mesmo que, no momento, você não acredite que tenha um bom desempenho. Ao mudar o modo como você se enxerga,  vai entender que o problema maior está na sua cabeça e não na obra do outro.

Sem competição

Faça seu trabalho pelo prazer gerado e não como forma de competir com outros artistas.

Menos cobrança e mais confiança

Não se cobre demais, tanto como artista, quanto como pessoa. O processo não deve ser um fardo que você carrega, mas algo que faz por amor a sua arte.

O tempo de cada um

Por fim, entenda o seu tempo e o fato de que o tempo de cada um é diferente. Alguns evoluem mais rápido que outros, mas isso não o torna melhor. O que torna um artista melhor é o treino e aprimoramento das suas técnicas e isso é possível com o treino. 

Como ter experiências positivas com as comparações

Se, por outro lado, você faz comparações em busca motivação e de melhorar as suas técnicas artísticas, então isso é positivo. 

Primeiramente, para se ter boas experiências, busque por artistas que estão dentro das suas possibilidades. Por isso, não se compare com grandes nomes do mercado e que já atuam há longos anos. Você não sabe pelo o que eles passaram para chegar onde estão, logo não é uma comparação justa para você. 

Sempre que possível se abra com as pessoas que te inspiram. Diga como se sente, isso pode ajudar a entender que a perfeição não existe. O que existe é treino e aprimoramento. Muitas vezes, aquelas com quem você se compara também se comparam com outras pessoas.

Em síntese, qualquer que seja a área, sempre existirá comparações. O que você não pode deixar é que a insegurança atrapalhe o seu desempenho

Se você quer saber se anda se cobrando demais, veja neste artigo alguns dos principais sinais. Boa leitura!

Curso de Desenho Realista para IniciantesPowered by Rock Convert
COMPARTILHE:
Entre para a nossa lista VIP.