5 dicas para você não parar de desenhar

Por Maira Poli 10 de julho de 2018

COMPARTILHE:
Como não parar de desenhar
5 dicas para você não parar de desenhar
3 (60%) 2 votes

Desenhar, para muitos, é um hobby, e alguns ainda associam esta prática como uma atividade que faziam em sua infância. De fato, é algo comum nesta fase, mas há aqueles que se identificam e gostariam de levar esta atividade adiante.

Chegam na fase da adolescência desenhando mangás, reproduzindo personagens de desenhos, fazendo retratos de familiares e artistas de revista, por observação.

Já passou por algum momento deste? Chega, porém, uma etapa em que a vida começa a pedir um pouco mais de nós. E as responsabilidades da vida adulta demandam atenção e um tempo maior de nossas vidas. E é nesta fase que muitas vezes ocorre o abandono do desenho.

Porém, se o desenho era algo importante para você e quer mantê-lo em sua vida, mesmo como um hobby, porque não pensar em alternativas que possam conciliar as tarefas do cotidiano com a habilidade de desenhar?

Ou até mesmo você, que passou por esta etapa de tomar a decisão de voltar a desenhar, mas no meio do caminho precisou parar… Porque não voltar?

Veja 5 dicas para você voltar e não parar de desenhar mais!

1. Tenha um objetivo

 O primeiro passo para você voltar a desenhar ou manter a sua rotina de desenhos é ter um objetivo.

Falar para si mesmo que isso é importante e irá se esforçar mais. É um exercício mental de determinação e de saber o que você quer para a sua vida.

Como somos pessoas visuais, escreva em um post-it bem chamativo ou num pedaço de papel “EU VOU DESENHAR!“. Cole-o em um lugar em que você possa ver constantemente, como um lembrete. Veja bem, não é tentar, esta palavra não faz você caminhar. É “eu vou fazer”.

2. Defina uma rotina

 Agora que você sabe o que quer, é hora de organizar a sua rotina.

Se você realmente não tem tempo, será preciso um jogo de cintura para poder equilibrar seus horários.

Pense com sinceridade:

  • Quantas horas vagas você tem durante o dia?
  • Quantas horas você dedica seu pouco tempo à tarefas de pouco rendimento?

Este é o momento de se livrar de atividades supérfluas ou de associá-las com o desenho. Você pode começar desenhando 30 minutos por dia. Nos finais de semana, se possível, aumente mais 30 minutos. Essa meia horinha, diariamente, se transformam em várias horas durante a semana. Quanto mais você faz, mais você irá manter o ritmo.

3. Estimule a sua mente

Aqui, você começa a respirar o desenho.

Procure se informar sobre as técnicas que você está trabalhando. Sobre obter mais informações de atualizações, do que está rolando no mundo do desenho ou na sua área específica.

Procure por artigos, vídeos, tutoriais, cursos… Consuma conhecimento para que, além de desenhar, você também possa se aperfeiçoar. Manter-se ligado à novidades lhe estimula a querer produzir também!

4. Compartilhe experiências

Procure manter contatos no mundo do desenho. Faça amizades com pessoas com gostos comum aos seus, para que isso possa lhe servir de apoio.

A sua dificuldade pode ser a mesma de outro. A habilidade desenvolvida dele pode lhe ajudar no seu aperfeiçoamento, e vice e versa.

Isso é compartilhar experiências para que todos possam evoluir. Você pode ter a sua rede social para poder divulgar seus trabalhos, mesmo que sem fins comerciais. Mas para que você possa ter um meio de comunicação para interagir com os demais.

Porém, este ponto aqui é muito perigoso, pois se você já não tem tempo, não deixe se levar pelas conversas improdutivas. Use para conhecimento, não para distrações.

5. Mantenha o desenho sempre perto de você

Deixe a sua prancheta com o seu desenho perto do seu alcance. É como se estivesse dizendo:

Estou aqui, não me esqueça. Basta esticar a mão…

Há sketchbooks que facilitam a sua vida e você pode carregá-los para todos os lados. É como um caderno próprio para desenhos. Há tamanhos menores para facilitar o transporte. E nele você vai deixando arquivado todos os seus traços, estudos. Deu um intervalinho, está em mãos…

 

Pode chegar uma fase em que você passará a ter uma melhor percepção da qualidade do seu trabalho. Desse modo, começar a se comparar com artistas mais experientes. Esta comparação pode ser uma faca de dois gumes: ou você se inspira cada vez mais para chegar ao mesmo patamar ou você se deprime por ver que o caminho parece ser longo e difícil.

Pode acontecer também a busca pelo reconhecimento de outras pessoas, e acabar gerando muitas frustrações devido à sua expectativa que não foi alcançada. São dois casos típicos onde muitos começam a desistir. É o caso de voltar ao primeiro item e começar tudo de novo.

São algumas dicas que precisam de um esforço mental para poder se programar e seguir firme, mas que valem a pena se você se decidir e souber onde quer chegar. Um pouco por dia é melhor que nada por muito tempo!

 

Afinal, devemos criar ou copiar desenhos realistas? Já teve essa dúvida antes? Confira este artigo aqui!

COMPARTILHE:
Entre para a nossa lista VIP.