Melhor tipo de desenho para cada nível de aprendizado

Por Samuel Torres 2 de outubro de 2019

COMPARTILHE:

O estilo de um Desenho Realista é um tipo que impressiona muitas pessoas pela capacidade de retratar de forma bem real algo que existe. Pode ser na natureza, ou em maior ênfase o ato de retratar pessoas. Sendo assim, a grande maioria dos que se interessam em desenvolver essa técnica é atraída justamente por essa capacidade do desenho de prender o olhar pela riqueza de detalhes, texturas, sombras e brilhos que dão uma impressão de realidade. Logo, querem aprender a fazer isso também. 

Eu mesmo, quando conheci a me interessar por esse estilo de desenho, me fascinava os resultados possíveis de se alcançar com o lápis no papel, que até então me parecia impossível. 

Vendo trabalhos de outros artistas, como o próprio Charles Laveso, e também o Nelves, eu os tinha como inspiração e esperava um dia conseguir fazer trabalhos tão bons quanto os deles. Acredito que seja assim com você também. 

Entretanto, quando se vai subir numa escada, logicamente não se pode ignorar os primeiros degraus e tentar subir do meio dela pra cima. Assim, temos que subir um de cada vez. No desenho acontece a mesma coisa.

Nesse sentido, muitos chegam querendo já aplicar um sombreamento realista em seus desenhos. Bem como, arriscam fazer texturas de pele e efeitos complexos, ignorando a base. Ou seja, querem “chegar lá” quando ainda não aprenderam a dominar os princípios da técnica, como:

  • um sombreamento homogêneo;
  • degradês suaves;
  • percepção dos tons
  • conhecimento dos materiais

Em que nível de aprendizado você está no Desenho Realista?

O primeiro passo é reconhecer em que nível você está na técnica do Desenho Realista. 

Nível 1

Se está chegando agora à esse universo, deve começar se situando em relação aos materiais usados e alguns princípios básicos de como começar a trabalhar o controle do lápis e a leveza da mão

Nessa primeira etapa, é interessante explorar imagens tridimensionais simples e geométricas, esferas, cubos, etc. Bem como, imagens que tenham nuances de diferentes tons, áreas bom brilho e áreas com sombra.

Você pode praticar o sombreamento para alcançar homogeneidade, evitando manchas, controlando também o peso da mão para alcançar diferentes tons de cinza, conforme se vê na imagem de referência.

Assim, aos poucos vai conseguir dominar o peso da mão e adquirir um bom controle do lápis. Isso leva tempo e requer bastante treino, portanto, quanto mais treinar, melhor ficará

Passados esses primeiros exercícios, já conseguindo dominar bem o sombreamento básico e já tendo adquirido certo conhecimento sobre os materiais e como usá-los, é hora de aumentar o nível de dificuldade em suas imagens de referência.

Nesse contexto, fotos de estátuas e tecidos como essa são excelentes nessa etapa do aprendizado, pois você vai começar a praticar o sombreamento em degradê em áreas menores, exigindo mais controle e percepção para harmonizar o todo. Não pode ter uma mancha escura do nada entre as demais, as nuances de tons entre as áreas de luz e sombra devem fluir de forma suave, misturando-se umas às outras, de forma que o todo fique harmonioso, nada destoante. 

Aqui já é exigido muito mais concentração, paciência e cuidado, mas isso elevará bastante o nível de sua técnica, percepção e paciência no desenho. 

Nível 2

Agora você já pode começar a se aventurar em desenhos de rostos, escolhendo imagens de referência de rostos lisos e sem muitos detalhes, rugas ou texturas. De preferência com cabelos lisos ou levemente ondulados. São bem vindas fotos de mulheres jovens ou crianças.

Aqui, segue o mesmo princípio: fazer cada parte com bastante cuidado, observando os tons e detalhes e tentando reproduzi-los da melhor forma possível. 

Uma dica importante: conforme as imagens vão ficando mais complexas, não se atenha ao todo, mas foque em uma parte de cada vez, esquecendo o restante. Isso vai ajudar a manter a concentração e foco naquela parte, e assim conseguirá reproduzi-la da melhor forma possível, sem pressa, sem que a ansiedade tome conta.

O problema de observar o todo enquanto desenha é que não consegue focar em cada detalhe individual, perdendo assim qualidade no desenho. Pior: pode ser tomado por ansiedade e pressa, o que atrapalha tanto o desenrolar do desenho quanto o desenvolvimento da técnica. 

Nesse ponto, provavelmente sentirá dificuldades ao chegar na parte do cabelo. Esse é o terror do desenhista iniciante e até mesmo de vários outros em níveis intermediários e avançado. 

Eu mesmo até hoje não domino totalmente a técnica de fazer cabelos bem realistas de forma suave e natural. Isso é algo que eu tenho treinado constantemente para melhorar. 

Para começar a dominar essa técnica, pode começar por esse vídeo do Charles onde ele passa alguns macetes excelentes para se conseguir desenhar cabelos de forma realista. Veja só.

Nível 3

Estando já conseguindo fazer bons desenhos de rostos simples. Por isso, pode-se começar a subir um pouco o nível de complexidade das imagens, com fotos com:

  • jogo de luz e sombra como essa;
  • pelos sutis;
  • cabelos mais esvoaçados e emaranhados;
  • fundos acinzentados ou pretos;
  • fundos desfocados, entre outras.

Aqui já começa a ficar mais interessante o trabalho, pois além de já estar dominando melhor a técnica, as escolhas de imagens começam a ficar mais impressionantes, contribuindo para o todo da obra. 

Quanto mais se eleva a complexidade do desenho, mais paciência, concentração e foco são exigidos. E vale a mesma dica dada anteriormente: foque em cada parte separadamente.

De vez em quando, dê uma afastada do desenho e aí sim olhe o todo, veja como as partes feitas separadas estão em relação às demais, se estão harmonizando bem, se não tem nada destacando demais. Enfim, esse olhar mais de longe permite você ter uma visão geral e a identificar áreas que podem ser melhoradas

Nível 4

Nesse ponto do aprendizado você já estará apto a começar a trabalhar com imagens mais complexas como rostos com rugas, textura de pele, barba, efeito molhado, etc. 

Aqui você já estará chegando no “clímax” da técnica realista, podendo finalmente fazer as tão esperadas imagens que impressionam. Mas só conseguirá se tiver passado pelas etapas anteriores de forma consistente e gradual, sem pular aprendizados

No geral, a técnica é bem similar ao que você terá feito até então, só que como a imagem terá detalhes cada vez menores. Assim, terá que “reduzir a escala do olhar”, observando cada vez mais detalhes menores e reproduzindo áreas menores, poros, cada carocinho da pele, cada pequena ruga, trabalhando cada detalhe como se fosse um desenho isolado. Bem como, de tempos em tempos, é importante dar aquela afastada pra ver como estão entre si, se o todo está ficando harmonioso.

É comum nessa fase do desenvolvimento que você mergulhe no efeito que esteja fazendo e perca a noção do todo. Por consequência, o desenho pode acabar ficando desproporcional, descaracterizando a fisionomia da pessoa retratada, ou pode ficar com detalhes muito marcados, perdendo aquela naturalidade e consequentemente o realismo. 

Portanto, é sempre bom dar aquela afastada e olhar o desenho mais de longe. Se possível, saia, faça outra coisa e quando voltar, pode ser que veja algo que não estava vendo antes. É interessante também olhar o desenho em diferentes ângulos, até de ponta cabeça

Nível 5

Tendo alcançado cada vez mais controle e conhecimento dos materiais e melhorado também a percepção dos tons e detalhes nas etapas anteriores, você poderá se desafiar com imagens como essa, com uma abrangência muito maior de detalhes e efeitos, tons e contrastes.

Nesse desenho, eu usei lápis carvão em conjunto com os lápis grafite, pois o carvão alcança tons de preto absoluto, enquanto o grafite chega no máximo a um cinza escuro. Sendo assim, pude trabalhar com maior contraste no desenho. Toda a riqueza de detalhes e efeitos foram desafiadores pra mim, tanto em técnica quanto em paciência e atenção, sendo necessárias muitas horas para executá-lo. Acredite: levei cerca de 100 horas nesse desenho! 

Por fim, tudo é uma questão de se dedicar a cada etapa de forma consistente, buscando a excelência em cada uma delas, desde as mais simples. Esse aprendizado gradual e sólido vai te dar uma bagagem em paciência, atenção, concentração e percepção que te possibilitará nível mais altos até chegar ao hiper realismo. Boa sorte!

Curso de Desenho Realista para IniciantesPowered by Rock Convert
COMPARTILHE:
Entre para a nossa lista VIP.