Tirando o traço do desenho com mesa de luz

Por Samuel Torres 15 de Maio de 2018

COMPARTILHE:
Mesa de luz
Tirando o traço do desenho com mesa de luz
Avalie este Post

Assim como o decalque, a mesa de luz é uma forma rápida e prática de se tirar o traço do desenho. Nesse artigo vamos falar um pouco sobre esse método e mostrar na prática como funciona.

É certo usar a mesa de luz?

Não iremos entrar aqui na questão “moral” de seu uso, nem criticar e nem defender. Vamos penas expor como a mesa de luz pode ser um método usado e bem aceito por desenhistas. Lendo e assimilando as informações, você mesmo poderá ter segurança em seu critério de usar a mesa de luz ou não.

E tudo é uma questão de saber o que se quer, de saber qual é o seu objetivo: Você busca começar seus desenhos a partir do esboço? Ou gostaria de focar na arte final do trabalho?

Quando usar a mesa de luz não é vantajoso: observação

O artista que busca estudar o desenho por observação, ou como alguns dizem “criação”, estuda exaustivamente a anatomia humana. Desenvolve formas eficazes de esboçar um desenho, praticando bastante a observação. E tudo com o fim de armazenar um repertório de informações visuais em sua mente. Para assim, conseguir desenhar por si mesmo suas imagens, para ter uma base de imagens para observar ou até mesmo criar.

Quando é vantajoso: arte final

A vantagem para se usar a mesa de luz é possibilitar a agilidade e facilidade no traço do desenho.

Veja bem, não é como o esboço que é feito a partir da criação ou observação, mas sim o traço direto das formas da referência.

A mesa de luz é voltada para artistas que têm o foco na arte final. Ou seja, no acabamento, sombreamento realista, jogo de luz e sombra, texturas, detalhes e tudo o mais que sê vê em uma fotografia. Nesse caso, a prioridade fica na arte final e não na execução e construção do esboço. Sendo assim, é uma forma válida e muito usada no desenho realista.

A mesa de luz apresenta uma vantagem em relação ao método do decalque, que também visa a transferência do traço para o papel a ser desenhado.

Alguns deles são:

  • facilidade, pois estará desenhando diretamente na folha de desenho;
  • boa visualização da referência sob o papel;
  • agilidade, pois possibilita tirar o traço de forma muito rápida.

Usando a criatividade

Em nosso convívio com alunos e desenhistas vemos muitas experiências e criatividade na hora de improvisar a mesa de luz.

Na falta deste equipamento, há pessoas que usam o vidro da janela da casa (desde que seja liso), aproveitando a translucidez da luz do dia.

O vidro da mesa de jantar ou de centro, utilizando uma luminária por baixo. Ou também a tela do computador ou da televisão.

Enfim, usando o conceito da mesa de luz, de transpassar a fotografia impressa por baixo do papel a ser desenhado para que se possa tirar o traço das formas, é possível imaginar inúmeras formas de empregar esse método.

Inclusive, muitos produzem suas próprias mesas de luz utilizando de: uma caixa de madeira (gavetas, caixotes de MDF), uma lâmpada fria ou de LED por dentro da caixa. E depois um vidro jateado por cima (visando que a luz não se concentre e espalhe por toda a superfície).

 

Existem mesas de luz do tamanho A4 e A3, sendo fina de LED ou como um caixote. Ambas têm a mesma finalidade e geralmente com uma qualidade próxima.

O tamanho irá interferir mais no valor do que na eficiência, pois uma mesa de luz no tamanho A4 também tira o risco de um desenho A3.

Porém, terá apenas que ir mudando as partes de lugar. As marcas testadas pela equipe Charles Laveso são da Creative e Trident. Ambas excelentes, leves, finas e eficientes. Há outras marcas no mercado, mas na prática temos contato somente com as citadas acima.

 

4 dicas de como usar a mesa de luz

1. Use a mesa de luz em um ambiente escuro, ou pelo menos parcialmente escuro. Pois em ambiente claro, poderá ter dificuldades de ver as formas da imagem nas áreas escuras.

2. Use sempre uma folha embaixo da mão, entre a mão e a folha do desenho. Isso para evitar manchas causadas pelo suor e oleosidade da pele.

3. Cole a folha de desenho à referência impressa. Desse jeito, não correr o risco de perder a posição e errar o traço.

4. A mesa de luz é de uso prioritário ao traço, não do sombreamento. O sombreamento deve ser feito através da sua percepção diante a fotografia impressa.

 

Abaixo você pode conferir esse método da mesa de luz na prática, onde explico o passo a passo, acompanhado de dicas e orientações.

Gostou dessa dica? Comece a usá-la ao aprender como desenhar com 6 vídeos tutoriais!

COMPARTILHE:
Entre para a nossa lista VIP.