Boleador, caneta borracha, caneta gel branca ou reservar o branco do papel?

Por Samuel Torres 10 de agosto de 2017

COMPARTILHE:
Boleador, caneta borracha, caneta gel branca ou reservar o branco do papel?
4 (80%) 2 votes

Detalhes brancos como reflexos em metais, fios de barba ou cabelo, brilhos na textura de pele e pontos intensos de luz chamam a atenção em um desenho realista.
Várias são as ferramentas e materiais que pode-se usar para fazer tais efeitos. As mais conhecidas são as mencionadas no título, incluindo o método de separar o branco do papel.
Daí surge a dúvida: Qual usar?
Primeiro é necessário conhecer tais materiais, os métodos e testá-los, para ver o que cada um proporciona e assim saber qual utilizar em cada situação.

Boleador

O boleador é uma ferramenta com uma ponta esférica de metal. Ao passá-lo sobre o papel ainda em branco, sulcos são formados, de forma que ao sombrear a região onde se passou o boleador. O grafite não adere à esse sulco no papel, deixando traços brancos.
É muito usado em detalhes de fios brancos, tanto em cabelos quanto em barbas, por ser uma forma rápida de se fazer e que proporciona bons resultados e fios precisos.
Não é recomendado o uso dessa ferramenta para detalhes onde estes abrangem uma área maior e de forma mais suave, como fios desfocados ou brilhos na textura de pele.

Caneta borracha Mono Zero Tombow

É a caneta borracha mais fina que existe atualmente no mercado. Muito utilizada pelos desenhistas de realismo, tendo como principal vantagem, em comparação a outros tipos de borracha, sua precisão em detalhes pequenos ou finos. Quando cortada em chanfro (na diagonal, como na imagem), proporciona uma ponta ainda mais fina e precisa, ideal para fazer fios brancos.
Com ela é possível fazer fios finos e também fios desfocados, mas seu uso não se limita ao efeito de fios, podendo ser usada em variados detalhes e para diversos efeitos como brilhos em textura de pele, textura de tecido ou véu, retoques nos fios feitos com boleador e ainda para realçar pequenos detalhes de brilho.

Caneta gel branca

A caneta gel branca é pouco usada no desenho realista feito à lápis grafite. Seu uso é visto com mais frequência em desenhos feitos com lápis de cor.
Há controvérsias quanto a seu uso no desenho feito com lápis grafite, pois traz um efeito diferente dos usuais feitos apenas com borracha ou reservando o branco do papel. Normalmente, o que mais causa estranheza é seu tom de branco, que pode ser mais branco que o papel. Sendo assim, os detalhes feitos com essa caneta em um papel levemente amarelado produz traços ou pontos de luz que destoam do todo no desenho, mostrando um tom levemente azulado. Na imagem digitalizada proporciona um efeito bonito, mas no papel destoa muito os tons, não sendo agradável ao olhar.
Outro fator limitante quanto a seu uso é o fato de produzir traços “secos”, riscos ou pontos definidos, não tendo a possibilidade de esfumá-los para se obter efeitos suaves de luz.
Seu uso é indicado para pequenos pontos de luz intensos, impossíveis de serem feitos com as ferramentas citadas acima.
Exemplo de utilização da caneta gel branca nesse desenho abaixo da artista Maíra Poli.

Clique aqui para saber mais sobre materiais de desenho

Reservar o branco do papel

Aproveitar o branco do papel é a forma mais usual de se obter efeitos de luz e brilhos, pois o branco do papel já representa a luz em si, restando apenas trabalhar as sombras ao redor para evidenciar o brilho e dar volume.
Quanto a fazer pequenos detalhes como brilhos no efeito molhado, na textura de pele e até fios de cabelo reservando o branco do papel, é uma prática comum e que apresenta bons resultados, ficando mais natural e harmonioso, possibilitando um efeito mais fotográfico.

Pode-se conferir na imagem acima tais efeitos de brilho, usando o método de reservar o branco do papel.
Detalhes de brilhos em água e textura de pele, se forem feitos, usando ferramentas como o boleador ou a caneta borracha, apresentam pontos definidos de brilhos que não se mesclam ao todo da pele, pontos que se destacam por não causar um efeito natural.
Se forem feitos usando a caneta borracha, até se obtém suavidade, porém, ao apagar uma área que já foi sombreada, essa nunca voltará ao branco original do papel, ficando assim um brilho opaco. Considerando ainda que é difícil fazer pontos minúsculos de luz com a caneta borracha, mesmo usando a mais fina, pois seu contato no papel não é tão preciso, pois é maleável a certo ponto.
Outro efeito bem comum nessa técnica são os cabelos bem claros como o da imagem acima.
Tal efeito é obtido quando se vai deixando fios claros entre os feitos com o lápis, controlando as passadas para que em algumas áreas estejam mais concentrados do que em outras. Em um cabelo totalmente branco, o branco do papel é muito explorado, restando apenas alguns fios e mechas mais escuros entre eles. Em cabelos assim, pode-se usar esse método juntamente com a caneta borracha para finalizar com fios emaranhados e soltos.

E aí, gostou dessas dicas? No nosso curso você encontra muito mais conteúdos e técnicas para o desenvolvimento no desenho realista e na percepção.

COMPARTILHE:
Entre para a nossa lista VIP.